Acupuntura e

Auriculoterapia

A acupuntura  é um ramo da medicina tradicional chinesa (MTC).

Foi declarada Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 19 de novembro de 2010.

      A auriculoterapia é uma terapia natural que consiste na estimulação de pontos nas orelhas, sendo por isso muito semelhante à acupuntura.

      Segundo a auriculoterapia, o corpo humano está representado na orelha,  por isso, cada ponto estimulado corresponde a um órgão específico.

O tratamento acupunterápico consiste no diagnóstico (igualmente baseado em ensinamentos clássicos da Medicina Tradicional Chinesa) e na aplicação de agulhas em pontos definidos do corpo - chamados de "Pontos de Acupuntura" ou "Acupontos" - que se distribuem principalmente sobre linhas chamadas "meridianos chineses" ou "canais de energia", para obter diferentes efeitos terapêuticos conforme o caso tratado.

 

Também são utilizadas outras formas de estimulação, estando entre as mais conhecidas a moxabustão (aplicação de calor sobre os acupontos ou meridianos).

Com as tecnologias modernas a acupuntura vem agregando recursos como a eletricidade (eletroacupuntura, ryodoraku), estimulação com laser, agulhas mais seguras e práticas, cristais,  stiper ("Stimulation and Permanency" - Estimulação Permanente), esferas banhadas a ouro, prata e novos materiais (substituindo as raras agulhas destes metais) ou estimulação com a sucção de ventosas de vidro, material plástico ou acrílico com válvulas de pressão, ventosas de borracha, porém sempre observando os mesmos princípios da Medicina Tradicional Chinesa.

A Anamnese é fundamental para a correta prescrição do tratamento e escolha dos pontos, tanto na acupuntura quanto na auriculoterapia. 
Na auriculoterapia, o estímulo se dá por agulhas filiformes, agulhas intradérmicas, esferas magnéticas, esferas de cristal, de ouro, prata ou sementes de mostarda.

Ambos tratamentos são complementares ao tratamento médico.